Convidados

EVA MORSCH-KIHN: Formada em Gestão de Organizações Culturais pela Université Dauphine Paris e em Literatura Moderna e Cinema na Jean Jaurés Université de Toulouse. É responsável pela plataforma da indústria do festival francês Cinélatino Rencontres de Toulouse, que inclui o Cine en Construcción, o Cine en Desarrollo e o EDEN. Eva colaborou com o Mercato del Film da Bienalle di Venezia na organização do primeiro European Gap Financing Market. Com a La Fabrique des Cinémas du Monde, em Cannes, seleciona os projetos para o Fonds d’Aide au Développement du Scénario d’Amiens, entre outros, e é membro suplente do Aide Aux Cinémas du Monde.

FLAVIA CANDIDA: Curadora, cineasta e produtora graduada pela UFF/RJ. Começou sua carreira como programadora em meados dos anos 1990 no Cine Arte UFF. Colabora em festivais como Curta Cinema, Festival do Rio e Festival Internacional de Curtas­Metragens de São Paulo. Também é coordenadora do Festival Brasileiro de Cinema Universitário. Dirigiu o curta “O metro quadrado”, vencedor do Prêmio Especial do Júri no Festival de Brasília em 2002. Trabalhou em dezenas de curtas de premiados diretores, e em longas de Walter Lima Jr. e Bruno Vianna. Também participou de produções internacionais como “Brasileirinho, o filme”, de Mika Kaurismäki, e “Trash”, de Stephen Daldry.

GEMA JUAREZ ALLEN: Estudou Antropologia (Universidad de Buenos Aires, Universidade do Rio de Janeiro) e cinema (University of Manchester UK – ENERC). De 2003 a 2008 dirigiu a produção de documentários na Habitación 1520 Producciones (Imagen Final, Criada, Los Jóvenes Muertos, Dulce Espera) antes de criar sua própria produtora em 2009. Foi coordenadora geral do DocBuenosAires até 2003. Seus projetos receberam apoio do Hubert Bals Fund, Visions SudEst, Sundance Documentary Fund, Cinereach, Ibermedia, IDFA Fund, Fondo Nacional de las Artes, DocStation Berlin, etc. Em 2008 recebeu o Premio ARTE/BAL para jovens produtores. Produziu mais de 10 longas-metragens, a maioria em coprodução internacional. Os filmes que produziu foram premiados nos festivais de BAFICI, Roma, Guadalajara, Silverdocs, Festival de San Petersburgo, entre outros.

GIANCARLO NASI: Produtor e advogado especializado em propriedade intelectual. Possui diploma em Ciências Políticas e Sociais e Mestrado em Direito Econômico, com especialização em Direito da Propriedade Intelectual, no Instituto de Estudos Políticos de Paris, Sciences­Po, França. Atualmente, através de sua empresa Rampante Films, em associação com Don Quijote Films, produz cinema com visão autoral. Entre seus longas metragens se encontram “Raíz” de Matías Rojas Valencia (Horizontes Latinos, Festival de San Sebastián 2013) e “Desastres naturales”, de Bernardo Quesney. Atualmente, produz, entre outros, o programa “Chile Factory” com a Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes e “Niño nadie”, de Fernando Guzzoni, uma coprodução Chile, França, Alemanha, Grécia e Colômbia em pré­produção.

IVAN GRANOVSKY: Produtor em Buenos Aires, Argentina. Depois de programar cinema latino americano em 25 salas do circuito argentino, Granovsky produziu “Todos Mienten”, de Matias Piñeiro, que estreou no Festival de Locarno 2009 e “Rosalinda”, também de Piñeiro em 2010. Em 2011, “Accidentes Gloriosos”, de Mauro Andrizzi e Marcus Lindeen, premiado na Competição Orizzonti do Festival de Veneza. Com sua produtora Kommander, Granovsky está produzindo o novo longa metragem do diretor Michael Wahrmann, coproduzindo com Bolívia e estreando cinema brasileiro na Argentina.

MARINA MELIANDE: Cineasta e montadora formada pela Universidade Federal Fluminense, dirigiu, em parceria com Felipe Bragança, alguns filmes exibidos em festivais internacionais: dois curtas, “Por dentro de uma gota d’água” e “O nome dele (o clóvis)”, além da “Trilogia Coração no Fogo”, composta pelos longas “A Fuga da Mulher Gorila”, lançado no Festival de Locarno 2009; “A alegria” – lançado na Quinzena dos Realizadores, Festival de Cannes 2010 e “Desassossego, filme das maravilhas” ­ filme coletivo, lançado no Festival de Rotterdam 2011. Nos anos de 2007 a 2009 Marina foi artista residente do Centro de Arte Contemporânea Le Fresnoy (França), onde realizou duas vídeo instalações: “Lettres au vieux monde” e “L’Image qui reste”. Atualmente, desenvolve o projeto de seu primeiro longa metragem solo “Mormaço” com o suporte da Résidence da Cinefondation, promovida pelo Festival de Cannes.

MICAELA SOLÉ: Estudou no Uruguai, Cuba e Espanha e trabalha com cinema desde 1997. Desde 1999, produziu diversos projetos uruguaios e internacionais. Em 2007, fundou Cordon Films para produzir longas metragens, a maioria em coprodução, como “Los enemigos del dolor” (2014) de Arauco Hernández, uma coprodução Uruguai­Brasil, que estreou na competição Cineastas do Presente do Festival de Locarno e “Norberto apenas tarde” (2010), de Daniel Hendler, uma coprodução Uruguai­Argentina, selecionada pelos festivais de Locarno, Toronto, San Sebastián, Vancouver, entre outros.

PAULO DE CARVALHO: Vive na Alemanha desde 1989, desenvolvendo atividades em produção latino­americana, publicação e curadoria em festivais internacionais. É fundador e diretor artístico do Festival CineLatino em Tübingen/Stuttgart. Atualmente, trabalha em diversos festivas de cinema internacionais como consultor para filmes da América Latina, como a Quinzena dos Realizadores de Cannes e o Festival Internacional Leipzig para Documentário e Animação.

RAFAEL SAMPAIO: Produtor, programador e curador de cinema e audiovisual. Trabalhou em instituições como Museu da Imagem e do Som de São Paulo, Cine Olido e Cinemateca Brasileira. É diretor do BrLab – Laboratório de Desenvolvimento de Projetos no Brasil, realizado por sua produtora, a Klaxon Cultura Audiovisual.

SANDRO FIORIN: Fundou em Los Angeles – junto com seu sócio cubano­americano Alex Garcia – a FiGa Films em janeiro de 2006, com o intuito de descobrir e distribuir conteúdo latino­americano na América do Norte e também representá-­lo mundialmente. Cresceu no Rio de Janeiro, estudou Cinema em São Paulo na FAAP, e na New School em Nova Iorque, onde morou por 14 anos antes de se mudar para a Califórnia em 2001. Ao longo dos seus 18 anos de carreira, trabalhou na Film Forum, Universal e First Look Films. Fiorin foi convidado para ser jurado e conduzir painéis de discussão sobre distribuição alternativa em Sundance, Rotterdam, Instambul, Cannes, Toronto, San Sebastián e na ONU, em Genebra.

ZSUZSANNA KIRÀLY: Estudou jornalismo e comunicação em Vienna e Berlim. Trabalhou como relações públicas de diversos festivais, como Viennale e Berlinale. Desde 2009, ela trabalha na Komplizen Film, em Berlim, onde é Junior Producer. Também foi coordenadora de produção em longas metragens como “Sleeping sickness” de Ulrich Köhler, “Tabu” de Miguel Gomes e “Superegos” de Benjamin Heisenberg. Ela é membro da Kino e Nisi Masa (European Network of Young Cinema). Em 2011 entrou para o time editorial da Revolver, uma das mais prestigiosas revistas de cinema da Alemanha. Em 2013, fez parte do programa Script&Pitch do TorinoFimLab, onde em 2014 retorna como Decision Maker.